Hutsch Guitars na Music Show Experience, feira da música em São Paulo!


Olá, hoje o assunto é nossa recente participação na feira da música de São Paulo, Music Show Experience!

Acabamos de retornar do evento, e as impressões positivas foram as melhores.

Quando fomos convidados a participar, a proposta da organização (muito bem feita pela equipe do Daniel Neves da Música e Mercado), era de criar um novo formato de feira. 

A tempos, a feira da música realizada em São Paulo, vinha em processo constante de esvaziamento e diminuição. Apesar do tempo já de experiência no mercado, o evento não privilegiava inovações, os músicos e nem mesmo o mesmo o mercado nacional. O público “consumidor final” era ignorado em detrimento dos logistas e profissionais do mercado, e o resultado final foi a debandada do público e consequentemente dos expositores.

A Music Show Experience veio exatamente nesse pior momento do mercado, trazendo todo mundo junto, aceitando sugestões abrindo espaço e privilegiando os amantes da música em geral.Foram criados espaços novos, indicados para produtos feitos em pequena escala ou Hand Made, além de espaços específicos para lojistas e compradores.

Muitos músicos e bandas e especialistas estiveram presentes em apresentações, palestras, e rodas de conversa, alguns youtubers foram convidados para geração de conteúdo e materiais, enfim, uma grande festa aberta e convidativa para todos e o resultado não poderia ter sido outro, feira cheia, expositores sendo privilégiados ao mostrar e negociar produtos com seu público.

Nós da Hutsch Guitars e Henrique Luthier, nos sentimos honrados em ter participado desse novo momento do mercado e fizemos um grande esforço para participar e levar o que podemos oferecer de melhor. Guitarras inovadoras, com design diferenciado, ótimo acabamento, de fácil tocabilidade e sonoridade de alto nível.

Foi um excelente momento para apresentar coisas novas, e ficamos muito satisfeitos com o feedback de vários clientes, a respeito das nossas guitarras, principalmente no quesito qualidade e inovação, pois são instrumentos que saem um fora da linha tradicionalista como tele, strato, como  o nosso modelo Futura e Moderna que receberam destaque em nosso stand.

A Futura inclusive, foi um lançamento especialmente preparado para feira, desde a etapa de projeto, cortes de gabarito, utilização de madeiras não tradicionais, o modelo uniu o design agressivo, ergonômico, sem deixar de ser clássico e ter sonoridade que vai desde sons mais pesados, a levadas mais calmas e limpas.

  

 

 

A ponte utilizada é um tremolo Gotoh 510, com preparação para alavancada nos dois sentido (assim como um floyd rose) mas sem aquela parafernália de parafusos e travas. A ponte ficou muito estável e não desafinou ao ser tocada por vários tipos de músicos, amparada por um sistema de tarraxas com trava da gotoh  também. Os captadores foram muito bem construídos pela nossa parceira Fullertone e apresentaram níveis de ruído baixíssimos, aliados a uma grande dinâmica de frequências, sem embolar e definição absurda tanto com distorção ou limpo. Nas madeiras usamos muito material nacional, com conjugações agradáveis de se ver. Materiais como Marupá, roxinho, ipê, peroba e braúna ganharam destaque na linha e surpreendentemente, (para os clientes) elas não deixaram nada a dever para as madeiras importadas e tradicionais.

Já a Moderna foi preparada para ser muito confortável, leve e mais atualizada com uma grande leva de guitarristas que não gosta ou não utiliza ponte tremolo e nem recursos como push pull. O som clássico da guitarra foi valorizado, com Humbuckers com som gordo e definido, com níveis baixíssimos de ruído.As madeiras também apresentaram variações em relação as tradicionais, e combinações foram feitas com freijó, sucupira, braúna, vinhático, mogno, e maple.

  

 

 

Esteve também presente em nosso stand um modelo telecaster bem modificado em relação ao padrão tradicional, com novas curvas e chanfros, e um acabamento na linha rústica que valorizou a cara vintage do projeto. O captador p90 foi muito elogiado pela clareza e definição e incrivelmente com nível de ruído muito baixo também, longe daquela chiadeira do tradicional p90. O single vintage da ponte trouxe aos amantes do country e blues aquela vibe retrô e divertida desses estilos. Utilizamos uma ponte Kluson ao estilo tradicional com carrinhos em latão, e tarraxas vintage gotoh super precisas e estáveis. Olha que eu mesmo não acreditava que existia tanto público para esse estilo, mas a guitarra foi extremamente paparicada por muitos músicos.

.

 

A nossa strato foi a que reservamos ao público mais tradicional a porta de entrada para conhecer inovações como melhorias no encaixe do braço e madeiras, com a pegada vintage também, pintura nitrocelulose, captadores a lá Jimi Hendrix, mas com muito mais versatilidade de alavancada e peso com o humbucker instalado na ponte. Madeiras nacionais foram utilizadas, quase que em pegadinha aos músicos que não conseguiam acreditar que o som era fiel as mais tradicionais marcas. É nítido a importância e admiração a esse modelo que inspirou muitos guitarristas desde a sua concepção nos primórdios da guitarra. Tanto que ela nem voltou pra casa, e já está em boas mãos fazendo música por aí!

 

 

Claro também que não poderiamos esquecer dos amigos e colegas de profissão que participaram dessa empreitada, destaque aos handmades, ACS, 2 Luthiers, Pedrone Amps, Rox Stage, Caracik, Novaes, Acedo, Cristian Bove, Wood, SGT, Carroza, B&H escola de luthieria, Instituto Romanos, Klingen, Grupo Criar, Crush, Moya, Red Foot, HC, Mesk , Gutti, Germano M, AMB, Quimera, Malagoli, Zepp, Fire, MusicBoard, Mendes, Mazok, S Martyn, Zepp e me desculpem se esquecemos de alguém. Todos apresentaram produtos de altíssimo nível, feitos com todo carinho esmero, algo que espero e deverá ser reconhecido em curto prazo por todos os músicos daqui pra frente e que no Brasil tem sim muita gente boa e produzindo produtos de qualidade. Chega de pensar que só o que é “gringo” presta, e devemos e podemos fortalecer ainda mais nosso mercado nacional de produtos e profissionais. Também vale ressaltar o ambiente entre todos os expositores, que por mais que sejam em alguns casos “concorrentes”, deixaram todas as diferenças de lado e foram acolhedores e parceiros em prol de um mercado e não de uma rixa pessoal.

A crítica claro que não poderia não existir ficou a cargo do nível de ruído do local, provocado por alguns palcos expositores, mas nada que uma boa conversa e respeito mútuo não resolvam esse problema numa próxima edição.

Para quem quer ver mais de pertinho, fomos entrevistados pelo Cifraclub e pelo site Pedais e efeitos! Olha aí o vídeo com as guitarras.

E assim fechamos nossa resenha do evento, com a cabeça já em 2019, pois ano que vem TEREMOS feira novamente, e nós já estamos ansiosos para nos organizar e levar novos produtos ainda melhores e mais inovadores a todo público. Então anote aí, ano que vem tem mais e nos vemos na Music Show Experience. 

Um Grande abraço e até mais.